Shinobi Survival
Votação
Apenas um Voto por Pessoa...
A) Sim
100% / 5
B) Não sou Capaz de Opinar
0% / 0
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

Ver toda a lista

Os membros mais ativos da semana
Últimos assuntos
Outbreak - Por uma vez sóTer Mar 27, 2018 5:47 pmReaper
Outbreak - Dia dos mortosSeg Mar 26, 2018 12:30 pmUmagon
Outbreak - Natzu e KyraQui Mar 22, 2018 1:33 pmNatzu
Outbreak - Mais um DiaQua Mar 21, 2018 8:54 amReaper
Ficha - BanTer Mar 20, 2018 11:31 pmBan
Outbreak - ChrisSeg Mar 19, 2018 8:15 pmChris
Que Horas São?



Compartilhe
Ir em baixo
avatar

Status
Vida:
200/200  (200/200)
Arsenal:
Ver perfil do usuário

Sem Equipe - Nameless

em Sex Out 13, 2017 9:24 pm
Relembrando a primeira mensagem :



Sem Nome
Aqui jazem Shinobis sem trios!!




avatar

Status
Vida:
100/100  (100/100)
Arsenal:
Ver perfil do usuário

Re: Sem Equipe - Nameless

em Ter Out 31, 2017 3:10 am
Estava impaciente, não estava no meu comum, como que eu, logo eu, uma criatura artificial teria atingido tais sentimentos... Tristeza, solidão, raiva e impotência? O quê é isso? Eu não sei explicar, apenas sentir como qualquer outro ser. Estaria passando muito tempo ao lado de humanos? Que droga! Estou odiando isso - Aquela filosofia... - Comentava sobre a filosofia seguida por Ieyasu, era algo semelhante ao destino, afinal, Um bando de cogumelos tinha me cercado e mesmo que eu fosse extremamente mais forte que tais, eu ainda assim poderia sair com a derrota. Eles estavam juntos, como uma família.

Tudo estava claro em minha mente, fazia sentido, eu preciso ter pessoas ao meu lado, apenas ao lado dessas pessoas é que meu verdadeiro potencial será exposto. Tentava parar de pensar naquelas coisas, ficava quieto na rua em frente ao comerciante, mal tinha saído de sua tenda e já tinha pensado um monte. Coisas me incomodavam a todo e qualquer momento, talvez a convivência com a sociedade não tenha sido muito boa para meu eu interior. Quem sabe esse não fosse o verdadeiro objetivo de meus pais ao me mandar para esse vilarejo? Não importa, ao menos não por enquanto, meus pensamentos a cerca desse objetivo não precisam ser o foco atual e assim a aceitação de que deve ser assim por enquanto, até chegar o momento do questionamento real sobre tudo e origens.

Já tinha absorvido todo conhecimento sobre a arte de meu clã, perdi duas armas de grande porte, poderiam ter me rendido um bom lucro caso as duas fossem vendidas, mas apenas consegui dinheiro com uma. Dois pergaminhos, quem em sã consciência venderia sua técnica? Num mundo escasso como esse.

Dava uma risada com tantos pensamentos a cerca de bens materiais, realmente, a ganância vem tomando conta de todo meu ser, - É... Realmente estou me tornando humano - Andava pelo vilarejo, lojas estavam fechando, pessoas indo para dentro de casa e uma dúvida que não saía da minha cabeça "Para onde eu vou?" Pois é, estava aqui solto no mundo, no meio desse país desconhecido. Preciso arranjar um lugar pra viver, com pessoas ao lado de preferência.

A única solução encontrada foi - Vou para o campo de treinamento... Lá foi o único ambiente familiarizado - Dizia em voz alta, pessoas ao redor me observando, um olhar de pena. Agora eu entendo como as pessoas se sentem por serem ridicularizadas, dava um leve sorriso enquanto andava.

Durante o trajeto, uma figura me assustava. Da onde tinha surgido? Sim, sim, um espelho. Lá estava eu, encarando um espelho do lado de fora de uma loja, com uma luz de um dos poucos postes permitindo que eu tenha aquela visão. Um garoto de cabelos negros, vestes sujas, com a calça rasgada e um pano amarrado próximo ao ponto central da panturrilha - Esse ferimento... - Ficava sério durante um tempo e decidia voltar a andar para o campo de treinamento com uma ideia em mente.

Chegando ao centro de treinamento me sentava no chão de pernas abertas apoiando meu corpo com os braços para trás de meu corpo com um sorriso no rosto e com o rosto posicionado para o céu e de olhos fechados, as imagens voltavam em minha cabeça como se tivesse visto cada detalhe do quê tinha acontecido - Dois passos... Um empurrão? Não, puxão, bainha se soltando de minha vestimenta. Pela frente? Lado? Não, por trás. - Analisava a forma que tinha sido roubado, praticamente visualizava aquela cena - Como poderia ter evitado? Não sei, talvez, andando lateralmente de costas para a direção do homem, não impediria ele de roubar, mas o deixaria mais próximo de mim e também o atrasaria. - Fechava o sorriso.

A cena mudava rapidamente para a perseguição. - Selos de mão, pulo, esticar membro tentar chutá-lo. Esquiva... - Dava uma pausa para analisar claramente aquela cena, parava de falar para ter um foco maior, parecia tudo estar lento, o homem havia se abaixado, parecia tirar algo de sua manga e passando diretamente para sua mão, um simples movimento como o de arrastar sua mão no tronco e o de levantar seus pés o permitia mudar seu posicionamento, impulsionando seu corpo contra o solo, seguindo de um rolamento - Tentativa de acompanhamento, falha, motivo? Explosão surpresa. Notada? Não. Preparada durante o Pulo do ladrão. - Tentava voltar minha imaginação, forçar ela ainda mais. Começava a suar, a cabeça esquentar, precisava interpretar como ele tinha feito aquilo tudo.

Em minha mente tudo ia ficando mais claro conforme eu pensava sobre toda aquela cena. Agora com uma prática maior de análise momentânea, conseguia perceber que após se distanciar do selo, durante o salto e no intervalo de contato com o solo, ambos os braços se juntavam e faziam um selo, o selo Tigre. Em seguida um barulho, que é avisado por ele. Tudo fazia sentido agora. - Era uma técnica!!! 

Em seguida, mais outro detalhe, durante a queda, algo podia ser notado, algo que não tinha percebido durante o calor da batalha. Ele estava sempre muitos passos em minha frente, provavelmente preparado para qualquer tipo de combate pela sua enorme experiência.

Uma nova investida, tentativa de continuidade de batalha... Esquiva inesperada... Preparada? Com certeza, uma técnica básica dos ninjas! - Comentava com uma risada - Preciso me basear nele e aprender isso, pode ser útil futuramente - Me levantava e ia andando em direção a uma das árvores do ambiente, subia nela com calma para não ferir mais a perna. Forçava um galho com meu corpo, pulava nele apoiado no tronco da árvore, até esse galho se partir e cair. Quase uma queda conjunta, ficando preso no tronco, - Graças à suprema Yamata no Orochi! Imagina se eu fico aqui... Caído no chão e ter ganho uma técnica quebrada invés de uma nova técnica - Descia agora com calma pelos outros galhos e me distanciava cerca de vinte metros do galho. Em seguida, pensava em como iria executar aquela técnica, Antes de qualquer coisa, utilizava o Selo de mão de execução, selo Tigre, - VAMOS LÁ! - E em seguida o chakra toma conta de meu corpo e por um segundo ele se esvai, sinto uma forte radiação do mesmo vindo do ponto onde o galho estava. Uma fumaça sai de meu corpo, a partir do meu chakra e em um piscar de olhos, como um pulo, havia trocado de lugar com aquele galho, que estava caído na minha posição anterior. - SIM! EU CONSEGUI!!! - Mais um sentimento? É Tenzo, você realmente está se tornando cada vez mais humano. De alguma forma, sinto que tal técnica não estava completa, precisava de algo, algo como uma característica única, afinal, não conhecia aquela técnica, estava apenas supondo que ela estaria sendo realizada daquela maneira por aquele homem. Resolvo tentar mais uma vez para melhorar sua performance e fórmula. Realizo mais uma vez o selo de mão tigre, agora deixando com que meu chakra passe por todo meu corpo e nele fique. "Preciso que essa técnica possua algo inédito" Pensava durante a agitação do chakra. Uma ideia! O chakra começava a se moldar a partir de uma lembrança, meu teste elemental. "Elemento Água! É ISSO!!!" Nisso, após terminar de espalhar o chakra pelo meu corpo através do selo de execução, o suiton ia tomando contato com cada célula de meu corpo e aos poucos meu corpo ia se tornando água. Até que uma poça seja formada no solo.

Num movimento rápido, da ponta da poça meu corpo é re-feito com a umidade no solo e também da poça, completando a nova fórmula da técnica
.

Técnica aprendida:
Kawarimi no Jutsu

Categoria: Ninjutsu
Dificuldade: D
Selos: Tigre
Custo: 25
Notas: O objeto deve ser presencial, não pode ser usado contra jutsus de maior Rank!
Descrição: A arte ninja garante ao usuário a capacidade de trocar de lugar com uma tora, pedra, tronco, ou qualquer outro objeto móvel de tamanho mediano próximo, evitando ataques.
Conhecimento adquirido:
*Conhecimento adquirido sobre utilização de bombas em estilo de luta e forma de ativação
Fuuin no Kai

Categoria: Ninjutsu
Dificuldade: E
Selos: Tigre
Custo: 5
Descrição: Arte Ninja ativadora de selos como Kibaku fuuda, explosivos, bombas de fumaça e outros itens com o mesmo mecanismo.
avatar
Narrador
Narrador

Status
Vida:
0/0  (0/0)
Arsenal:
Ver perfil do usuário

Re: Sem Equipe - Nameless

em Ter Out 31, 2017 3:23 am
Tenzo - Palavras necessárias: 325 - Palavras feitas: 1339 - 30 Pontos em Inteligência(composição do texto e método utilizado) e 11 Em Vontade(pelo excedente e busca de aprendizado)

Mizu Kawarimi no Jutsu

Categoria: Ninjutsu elemental
Dificuldade: D
Custo:13
Descrição: Consiste na utilização da energia elemental da natureza: Água para escapar de perigos e ataques, transformando o corpo do usuário em água e liberando gotas d'água na atmosfera, permitindo que o usuário saia a partir de tais gotas.

═════════════════════════════

Conteúdo patrocinado

Re: Sem Equipe - Nameless

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum